Livro [#35 de 2015 ] A Nascente (Volume I) – Ayn Rand

Capa

Ontem eu terminei de ler o primeiro volume do livro A Nascente. Estive bastante empolgada para começar a leitura porque desde que conheci Ayn Rand, quando li um dos livros mais lidos do mundo – segundo alguma pesquisa realizada por uma fonte desconhecida por mim – fiquei impressionada com a sua escrita.

Isso porque A Revolta de Atlas é um livro que, além de muito bem escrito, traz reflexões pertinentes e, embora publicado em 1957 é atual e acho que vai continuar sendo por um bom tempo.

Mas estou aqui para falar do livro dela publicado bem antes, em 1943. Bem, até agora eu li somente o primeiro volume de A Nascente e me parece que ele foi uma espécie de  ensaio de Ayn Rand para a sua obra prima já mencionada, A Revolta de Atlas. John Galt e Howard Roark compartilham  alguns genes (senão todos hehehe). Mas vamos com calma.

Continuar lendo

Anúncios

Querida Flávia do futuro…

Embed from Getty Images

No último dia 6 eu completei vinte e nove anos de vida. É, eu me acho muito mais nova do que sou… Sinal de que estou ficando velha, mesmo. É coisa de velho falar isso. Fato. Enfim, mas eu vim aqui hoje para falar sobre uma atividade de aniversário que eu instituí para mim mesma. Eu explico. Tem gente que adora fazer resoluções no fim do ano, perto da virada, daquilo que pretende fazer no novo ano. Eu, contudo, prefiro repensar minha vida na época do meu aniversário. Entendo que é o momento de fim de um ciclo e início de outro. E aí em 2011 eu descobri um site muito massa para me ajudar nessa reflexão. É o futureme.org. A dinâmica é a seguinte: você escreve uma carta [na verdade é um email, mas falar carta é mais legal] para você mesmo e ela é enviada para você em algum momento do futuro, predeterminado por você. Não é sensacional? E desde 2011 eu escrevo uma carta para mim, com prazo de entrega de um ano. Quando a carta chegou, em 2012, eu pude ver quais dos meus planos se concretizaram e quais foram as mudanças no caminho. Eu costumo escrever, na nova carta, as respostas às perguntas que fiz na carta anterior e meus anseios para o ano futuro. E devo dizer que a experiência é enriquecedora para o autoconhecimento. Já recebi quatro cartas minhas e tem uma programada para chegar em 2016. Se você curtiu a ideia, pode entrar no site e escrever uma carta para ser entregue em… Sei lá… 2080! Boa sorte 😀

FD

[Livro] [#34 de 2015] Círculo de Giz Caucasiano – Bertolt Brecht

IMG_20150921_092655_2Eu tinha escrito um post bem bacana sobre o livro, mas o navegador travou e o wordpress não salvou NA-DA. Não tenho condições psicológicas de escrever tudo de novo agora.  [Deve ser só o destino me mandando voltar a escrever no Word].

Círculo de Giz Caucasiano (Der kaukasische Kreidekreis)

Bertolt Brecht

Editora Cosac Naify

2ª Edição – 2010

216 páginas

⭐️⭐️⭐️

FD

 

[Livro] [#33 de 2015] Pássaro do Paraíso – Joyce Carol Oates

IMG_20150912_123455_2

Eu nunca fui muito de escrever resenhas. Fico achando que não levo jeito porque, das duas uma: ou vou dar spoiler, ou não vou conseguir fazer o livro se tornar atrativo ao eventual futuro leitor. Mas, de certa forma, tenho me sentido – ultimamente – compelida a escrever sobre minhas leituras, porque depois acabo me esquecendo de pontos chaves das histórias. No fim, eu sinto como se, sei lá… um ano depois, eu só consiga me lembrar se gostei ou não do livro. E só no caso de eu ter gostado realmente é que eu lembro da trama principal.

Então eu resolvi escrever aqui, ao término de cada livro, as minhas impressões sobre a leitura. Não prometo que vá fazer sentido para quem for ler, e nem garanto que vá ser livre de spoiler (na verdade eu não quero ter que me preocupar com isso), então se você pretende ler o livro, sugiro voltar aqui quando terminar a página 487 🙂

Dito isso, vamos ao que interessa:

Continuar lendo

De volta ao blog

Faz muito tempo que não atualizo o blog e a perspectiva na última postagem é absolutamente distinta da atual. Vamos lá!

De agosto de 2014 até agora eu escrevi e publiquei no Wattpad o livro “Na chuva com Benjamin” que, até o momento já deve ter sido lido umas cinco mil vezes!! #OMG

Isso significa que eu estou bem mais confiante com minha habilidade para a escrita e infinitamente mais motivada a escrever outras (e melhores, pretendo) histórias.

Vou tentar manter por aqui minha área de estudo, comentando os novos aprendizados sobre escrita e sobre os livros que tenho lido!

Vou voltar correndo para a leitura de hoje, depois eu volto aqui!

FD

Economizando páginas

Sabe quando você começa a ler e percebe que o livro é tão bom, prende tanto a sua atenção, que faz você querer ler tudo logo? Então, quando me deparo com um livro assim começo a economizar. Passo a ler mais vagarosamente, apreciando cada frase, como se eu pudesse fazer ele render mais que as 211 páginas que tem. Como assim o autor só escreveu 211 páginas desta maravilha? Vou lendo e me perguntando, e me forçando a fazer pausas naquela leitura tão agradável até que, quando percebo, são duas da manhã, todos estão dormindo, eu estou fechando a capa com saudade.  Continuar lendo

Escrevendo com a Alma

Eu andei meio desesperançosa a respeito da minha ideia inicial de escrever um livro. Não tenho uma sinopse na cabeça, sabe?! Aí parece que as portas da escrita se fecham para você. Fui procurar orientação e eis que hoje chegaram os três livros da minha última compra na livraria: o mais esperado por mim, e o que me motivou a comprar livros desta vez foi “Como ler livros” de Mortimer J. Adler e Charles Van Doren. Li o início do prefácio, mas estava na hora do almoço, então deixei ele marcado na orelha. Os outros dois livros, que comprei sem pensar muito, mais para conseguir frete grátis foram: “Germinal”, de Emile Zola, que tenho vontade de ler desde que ouvi falar dele na faculdade e “Escrevendo com a Alma” de Natalie Goldberg. Depois do almoço, comecei a folhear este último e então, nas primeiras páginas, pude perceber que se trata exatamente do tipo de livro que estive procurando. Continuar lendo