Livro [#36 de 2015] A Nascente (Volume II) – Ayn Rand

IMG_59aa1dc5745d98babc155339484b6082_2

Agora que eu terminei de ler o segundo volume posso dizer minhas impressões definitivas (pelo menos por hoje hehehe) quanto ao livro A Nascente, de Ayn Rand.

Confesso que estive empolgada para ler em razão da ~ revelação ~ na minha vida que foi a leitura de A Revolta de Atlas, mas me frustrei (#chateada).  Então, não me lembro exatamente há quanto tempo li A Revolta (para os íntimos), mas deve fazer uns cinco anos, e eu fiquei bastante empolgada e impressionada com a perspectiva de Ayn Rand a respeito de como enxergar a sociedade que temos hoje (o livro é da década de 1940/publicado na década de 1950, mas acho que vai servir para 2050 perfeitamente).

Continuar lendo

Anúncios

Livro [#35 de 2015 ] A Nascente (Volume I) – Ayn Rand

Capa

Ontem eu terminei de ler o primeiro volume do livro A Nascente. Estive bastante empolgada para começar a leitura porque desde que conheci Ayn Rand, quando li um dos livros mais lidos do mundo – segundo alguma pesquisa realizada por uma fonte desconhecida por mim – fiquei impressionada com a sua escrita.

Isso porque A Revolta de Atlas é um livro que, além de muito bem escrito, traz reflexões pertinentes e, embora publicado em 1957 é atual e acho que vai continuar sendo por um bom tempo.

Mas estou aqui para falar do livro dela publicado bem antes, em 1943. Bem, até agora eu li somente o primeiro volume de A Nascente e me parece que ele foi uma espécie de  ensaio de Ayn Rand para a sua obra prima já mencionada, A Revolta de Atlas. John Galt e Howard Roark compartilham  alguns genes (senão todos hehehe). Mas vamos com calma.

Continuar lendo

Querida Flávia do futuro…

Embed from Getty Images

No último dia 6 eu completei vinte e nove anos de vida. É, eu me acho muito mais nova do que sou… Sinal de que estou ficando velha, mesmo. É coisa de velho falar isso. Fato. Enfim, mas eu vim aqui hoje para falar sobre uma atividade de aniversário que eu instituí para mim mesma. Eu explico. Tem gente que adora fazer resoluções no fim do ano, perto da virada, daquilo que pretende fazer no novo ano. Eu, contudo, prefiro repensar minha vida na época do meu aniversário. Entendo que é o momento de fim de um ciclo e início de outro. E aí em 2011 eu descobri um site muito massa para me ajudar nessa reflexão. É o futureme.org. A dinâmica é a seguinte: você escreve uma carta [na verdade é um email, mas falar carta é mais legal] para você mesmo e ela é enviada para você em algum momento do futuro, predeterminado por você. Não é sensacional? E desde 2011 eu escrevo uma carta para mim, com prazo de entrega de um ano. Quando a carta chegou, em 2012, eu pude ver quais dos meus planos se concretizaram e quais foram as mudanças no caminho. Eu costumo escrever, na nova carta, as respostas às perguntas que fiz na carta anterior e meus anseios para o ano futuro. E devo dizer que a experiência é enriquecedora para o autoconhecimento. Já recebi quatro cartas minhas e tem uma programada para chegar em 2016. Se você curtiu a ideia, pode entrar no site e escrever uma carta para ser entregue em… Sei lá… 2080! Boa sorte 😀

FD